CATÓLICAS PELO DIREITO DE DECIDIR DENUNCIA GOLPE NA BOLÍVIA

NOTA_CDD_BOLIVIA_2

Neste fim de semana, houve o ápice de um golpe apoiado por parte das forças militares, empresários e fundamentalistas, levando Evo Morales a renunciar ao seu posto de presidente recém-eleito da Bolívia. No domingo, 10/11, o resultado da auditoria das eleições que o elegeram pedida por Morales à Organização dos Estados Americanos (OEA) indicou a necessidade de novas eleições, pedido acatado pelo atual presidente da Bolívia, que convocou um novo pleito.

Acusado de fraude, Evo Morales demonstrou sentimento republicano ao convocar a auditoria e aceitar o pedido de novas eleições. No entanto, empresários, forças militares e setores fundamentalistas da política, apoiados pelo imperialismo dos EUA, interessado no domínio das riquezas naturais bolivianas, tiveram na figura do empresário disfarçado de líder fundamentalista Luis Fernando Camacho o apoio para o golpe. Importante lembrar que Camacho é dono de empresas offshore de lavagem de dinheiro listadas nos documentos do escândalo conhecido como “Panamá Papers”, investigado pela Lava Jato no Brasil. Sua evocação compulsiva a Deus e a vingança divina contra Evo e o povo boliviano levou à atos de violência extrema, como a agressão e humilhação em praça pública de Patricia Arce, prefeita da cidade boliviana de Vinto.

A extrema direita brasileira e o governo Bolsonaro fazem coro com os golpistas bolivianos e negam as transformações econômicas e sociais do governo de Morales, que recuperou a soberania nacional sobre os bens minerais do país, incluindo gás e lítio, utilizando-os para o desenvolvimento social e para a erradicação da pobreza, o que não agradou a elite neoliberal boliviana e nem os EUA. O jornal boliviano El Periódico indicou suspeitas de colaboração direta de membros do alto escalão do governo Bolsonaro com as movimentações golpistas na Bolívia.

Nós, Católicas pelo Direito de Decidir, denunciamos as artimanhas fundamentalistas que encobrem a ação bélica financiada pelos EUA por todo o território Latino-Americano. Nos solidarizamos com nossas irmãs bolivianas e com a luta do feminismo comunitário indígena no contexto de Abya Yala. 


Confira
aqui nota das feministas bolivianas sobre o golpe.

 

Author: catolicas01

Share This Post On