Toda forma de amor deve ser respeitada

católicas-apoia-luta-direitos-lgbt

Em tempos de ódio, mentiras e retrocessos, o Brasil parou para celebrar o amor e o respeito. Neste domingo, 29 de maio de 2016, milhões de pessoas marcharam em São Paulo na maior festa LGBT do mundo! O lema desta 20ª edição foi Lei de Identidade de Gênero, Já! Todas as pessoas juntas contra a transfobia!.

Por que tratar da identidade de gênero é importante? Porque a descriminação e a desigualdade impostas às pessoas devido ao seu gênero são uma violência desumana. Porque a identidade de gênero (e sexual) não é uma “escolha”, mas sim uma autodeterminação que jamais pode ser questionada, negada ou reprimida. Porque o desrespeito ao gênero mata centenas de LGBTs todos os anos no Brasil, que lidera o vergonhoso e intolerável ranking dos países que mais tiram suas vidas. E, entre esta população, as mais afetadas são as travestis e transexuais.

Para nós, cristãs feministas, qualquer tipo de preconceito ou ato violento contra os LGBTs vai contra aquele que consideramos o mais importante ensinamento de Jesus Cristo: o amor e respeito ao próximo. É difícil compreender e aceitar que alguém possa ser contrário ao direito de amar.

O próprio Papa Francisco – apesar de ainda não reconhecer a sagrada união dos LGBTs, fato que nos desagrada -, vem, desde o início de seu papado, suplicando aos cristãos e ao mundo que os respeitem.

Estamos na luta por justiça e direitos humanos há 20 anos. Em todo este tempo, estivemos ao lado dos LGBTs, apoiando e aprendendo com elas/eles. E como somos gratas! Nunca presenciamos, em nenhum espaço de militância LGBT, inclusive na Parada, qualquer discurso de ódio ou atos para invisibilizar ou anular ninguém. Tudo que vivemos ao seu lado diz respeito ao profundo desejo de amar, de viver sem violência, de apreço pelo reconhecimento de todas as pessoas em suas diferenças.

As vidas e as manifestações LGBTs, no entanto, têm sido maculadas e difamadas por gente ignorante, fundamentalista e sem escrúpulos, muitos ainda se dizem religiosos… e, pior, parte deles ocupa espaço privilegiado na política nacional. É uma gente vil que se articula para acabar com os direitos LGBTs conquistados com tanta luta! Até seus nomes eles querem tirar! São tão reacionários que se incomodam até com um beijo, esta expressão linda de carinho e amor. Querem até proibir as famílias LGBTs de existir e adotar crianças que foram abandonadas! Não dá para aceitar estes ataques.

Entendemos que toda expressão LGBT, seja ela ativista ou não, é um ato de resistência, um ato político. Porque essas pessoas, apesar de toda opressão e injustiça que sofrem, se mantém firmes, lutando e ocupando os espaços públicos, privados, as redes sociais.

Nós, Católicas pelo Direito de Decidir, defenderemos até o fim de nossos dias as vidas das lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis. Para vocês, desejamos toda força, coragem, dignidade e fé, pois juntos vamos conseguir denunciar e barrar a ofensiva fundamentalista neste País e vamos lutar por seus direitos. Contem conosco!

Author: rack

Share This Post On