Católicas debate religião x fundamentalismo em SP

A revista Carta Capital promove na próxima segunda, dia 17 de agosto, o debate A religião é reacionária?. O evento faz parte do projeto Diálogos Capitais nas Livrarias.

A presidenta de Católicas pelo Direito de Decidir, Maria José Rosado, participará deste importantíssimo debate, juntamente com Ricardo Gondim, Teólogo e Presidente Nacional da Igreja Betesda.

Desde sua fundação em 1993, nós de Católicas sofremos acusações, especialmente de religiosos: “Vocês não são católicas!” “Hereges!” “Feministas do inferno!”. Hoje, com as redes sociais, esses ataques se intensificaram. Muitas vezes tais acusações são feitas com ameaças à nossa integridade física. Fato que nos impressiona e indigna porque, afinal, como pode alguém se intitular cristão e agredir, mesmo que verbalmente, profanar, violentar ou incitar violência ao próximo?

Apesar das críticas e ataques, graças ao apoio da sociedade e dos movimentos sociais, especialmente o de mulheres, LGBTI e negros, nestes 20 anos de trabalho temos tido força para continuar a nossa luta por um país mais justo, por políticas laicas que garantam nossos direitos e respeitem nossas diferenças.

Temos acompanhado estarrecidas as investidas anti-direitos dos políticos e lideranças religiosas presentes nos espaços de decisão pública e política de nosso país, especialmente no Congresso Nacional. Pessoas que ignoram os interesses e necessidades do povo e atuam em favor de seus interesses pessoais e/ou entidades religiosas.

Questões importantíssimas para a população como os direitos das crianças, adolescentes e jovens, das mulheres, das e dos negros, e dos LGBTIs têm sido tratadas com um conservadorismo obscurantista que ofusca o diálogo e o clamor dos movimentos sociais.

A lista de ações antidireitos e anticristãs destes políticos fundamentalistas é extensa: querem prender crianças e adolescentes, tirando-lhes oportunidades na vida; querem impedir as mulheres de ter autonomia sobre seus próprios corpos; querem pagar bolsa estupro para mulheres violentadas sexualmente; querem criminalizar trabalhadores e movimentos sociais, proibindo nossas manifestações; querem impedir LGBTIs de se casarem e terem filhos; querem acabar com o Estatuto do Desarmamento; querem impedir indígenas e trabalhadores de terem suas terras; querem o fim do Estado laico; etc. etc. etc. Essas pessoas inspiram-se nos piores exemplos e erros cometidos por tiranos (laicos e religiosos) ao longo da história da humanidade, promovendo machismo, racismo e homofobia.

Quer dizer, fundamentalistas religiosos têm feito tudo ao contrário daquilo que um verdadeiro cristão deveria fazer: amar, respeitar e acolher o próximo, não julgar, não violentar, promover a igualdade e bom convívio entre as pessoas. E nós que não somos católicas? Não, não, minha gente, como diria Caetano “alguma coisa está fora da ordem”…

É por isso que nós mulheres feministas e ativistas dos direitos humanos estamos unidos mais do que nunca para lutar por todos nós e contra esses fundamentalistas e seus “podres poderes”.

Católicas parabeniza a Revista Carta Capital pela oportuna iniciativa do debate. Vivemos um momento crucial para a democracia brasileira. Discutir o papel das religiões nesse contexto é apontar para sua possível contribuição no sentido de afirmar direitos de cidadania. Mas é também indicar seus limites e os riscos do desrespeito à laicidade do Estado.

Vem conversar com a gente! O encontro é gratuito e vai acontecer na segunda (17) a partir das 19h na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo.

Pedimos que compartilhem o link do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/157117774619728/

 

Informações sobre o evento

Onde: Teatro Eva Herz na Livraria Cultura. Endereço: Avenida Paulista, nº 2.073, São Paulo.

Horário: 19h

Entrada: Gratuita

Author: rack

Share This Post On