Mosaico: como o fundamentalismo fere nosso direito de decidir

Nós mulheres sabemos o corre que é nossa vida. Trabalhamos mais, ganhamos menos e sentimos na pele as opressões e violências de uma sociedade machista e desigual que todos os dias ferem o direito de decidir sobre nossos corpos e futuro.

Especialmente para a campanha Católicas na Luta pelo Estado Laico e contra os fundamentalismos, a cantora, compositora e performer Brisa De La Cordillera [Brisa Flow] compôs a música “Mosaico” que fala sobre a realidade das mulheres, sobre a violação de nossos direitos sexuais e reprodutivos, mas também sobre sororidade e empoderamento.

Brisa trocou uma ideia com a gente sobre sua música, influências e novos projetos.

Católicas: Você sempre conciliou sua arte com o feminismo. Por que?

Brisa: Porque todas as coisas que estão no universo da mulher a gente tem a necessidade de falar nas músicas porque dizem respeito ao que vivemos, muitas manas se identificam. Porque a sociedade é muito masculina, o rap também, só tem o ponto de vista masculino, o discurso dominante é machista, temos a necessidade de falar do nosso ponto de vistam sobre as coisas.

Católicas: Além dos direitos e de questões sobre maternidade, sua música fala sobre o empoderamento político das mulheres. Esta é uma das funções sociais da arte?

Brisa: Na arte eu sinto a obrigação de fazer alguma coisa, de não fingir que nada tá acontecendo. Tem que resgatar a história, causar, chocar. E hoje é super importante porque estamos revivendo um golpe machista no Brasil, uma espécie de ditadura, onde ficou provado que a mulher não pode tá na política. É importante reforçar, através da arte, que a gente pode tá onde a gente quiser.

Católicas: Você vai lançar um disco em novembro, certo?

Brisa: Sim. Estou lançando o disco Newen que significa ‘força’ no idioma indígena Mapuche. Neste disco fiz várias faixas sobre as questões e a força da mulher, falo um pouco sobre maternidade, violência no parto etc.

Católicas: Suas obras têm muitas referências latinas. Você poderia falar um pouco sobre elas.

Brisa: Sim, sou filha de chilenos, minha família é do sul do Chile, eles fugiram da ditadura militar para o Brasil e sempre me contaram as histórias da ditadura, talvez por isso que me interessei tanto pelo rap de protesto e tenha incorporado no meu trabalho as referências Mapuche, os povos originais do Chile. Estou me interessando cada vez mais pelas minhas origens. Quero reforçar a cultura latino-americana, deixar viva nossa história, quero despertar a curiosidade das pessoas pela política.

Assista e compartilhe a música de Brisa De La Cordillera!

 

Conheça outros trabalhos da artista!

You Tube: https://www.youtube.com/user/brisaflowmc/

Spotify: https://open.spotify.com/artist/78XNtbcRuW435NYDYV0rWO

 

Confira também:

Conheça a produtora musical da campanha e as curiosidades sobre a criação das músicas feministas.

A igualdade de gênero pode começar na escola! Conheça as ideias da artista Drika Ferreira, autora da música Iguais e Livres!

Católicas lança campanha com rap feminista contra o fundamentalismo!

Ellen Souza canta Notícias do Brasil pelo fim da intolerância religiosa.

Author: catolicas01

Share This Post On