Ivone Gebara é condecorada como Doutora Honoris Causa pelas Faculdades ETS

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Condecoração será realizada no contexto do II Congresso Internacional Religião, Mídia e Cultura das Faculdades ETS que sendo realizado nesta semana. Outras informações: http://www.est.edu.br/eventos/ii-congresso-internacional/

Querid@s amigos,

@s parabenizamos por esta magnífica iniciativa de fazer esta homenagem a Ivone Gebara nossa amiga e integrante do Conselho Consultivo de Católicas pelo Direito de Decidir. Para nós Católicas pelo Direito de Decidir, Ivone é uma companheira de caminho, de buscas, de lutas, de conquistas, de frustrações, de esperanças, de festas e danças… Nestes momentos temos motivos para celebrar a sua vida, a sua caminhada, a sua contribuição teórica. Junto a ela existem entrelaçados fragmentos de vidas, de caminhadas, de histórias e de saberes de outras muitas mulheres. Mulheres que alimentam os sonhos dela, e mulheres que recebem força e luz dos sonhos sonhados e partilhados por Ivone.

A produção teológica de Ivone traz novidade, é fresca, dinâmica, desafiadora… As suas reflexões iluminam e dão sentido à(s) vida(s) de muitas mulheres, especialmente a das mulheres pobres, acostumadas a buscar consolo para os seus sofrimentos e para os sofrimentos de outros, – causados por sistemas androcêntricos, econômicos, religiosos e políticos – nos ritos, símbolos e discursos patriarcais das instituições religiosas (entre elas a católica), lugares onde são tratadas como inferiores, como seres de segunda categoria.

Consideramos que as ideais de Ivone, mais que outra produção teológica, foram fundamentais para romper a tensão e distanciamento entre o feminismo e a teologia. Um destes momentos de distensão foi a análise feita pela Ivone sobre um tema fundamental para o feminismo como é o aborto, que fez com que as feministas e as mulheres em geral encontrassem um olhar diferente, companheiro, solidário com as suas lutas, por parte de uma teóloga católica.

Pela primeira vez, talvez, uma mulher vinculada às estruturas da Igreja Católica – torna sua voz pública e toca o nervo exposto da ética sexual católica quando diz: O aborto não é pecado. Este é um momento de encontro profundo com a proposta de Católicas. Tornar pública outras vozes católicas que consideram que as mulheres têm capacidade ética e moral para tomar decisões sobre assuntos relacionados com a sexualidade e a reprodução.

Abraços,
Católicas pelo Direito de Decidir