Contra as fogueiras da inquisição: Todo apoio à pastora Lusmarina!

meme-apoio a pastora lusmarina-baixa

Nos últimos dias, o Brasil tem sido palco de debates em torno do aborto. Isso porque o Supremo Tribunal Federal (STF), nos dias 03 e 06 de agosto, recebeu representantes de organizações e entidades em audiências públicas para discutir a ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) 442, ação judicial que visa descriminalizar a interrupção voluntária da gestação até 12ª semana.

Além de Católicas pelo Direito de Decidir e outras representações do campo religioso favoráveis à descriminalização do aborto, esteve presente a pastora luterana Lusmarina Campos Garcia, integrante do Instituto de Estudos da Religião (ISER), que fez uma potente e necessária sustentação oral em defesa da vida das mulheres. Mas tal ação não passou incólume dos ataques de ódio vindos de setores conservadores.

Recentemente, a pastora Lusmarina tem sido vítima de inúmeros ataques, principalmente pelas redes sociais. São mensagens de ódio e, inclusive, ameaças de morte, que são incompatíveis com um Estado Democrático de Direito. Na contemporaneidade, as redes sociais possibilitam uma maior disseminação de conhecimento e troca de informações, mas também servem de palanque para que discursos reacionários se espalhem.

Como bem pontuou a pastora em seu discurso no dia 06 de agosto no STF, “as inquisições contra mulheres continuam, mesmo travestidas por outras faces e formas. Outrora foram as fogueiras reais, hoje as fogueiras simbólicas, mas não menos perversas, persistem através de um poder religioso que age contra a dignidade das mulheres via poder político e se mantêm institucionalmente.”

E é nessa fogueira que os fundamentalistas religiosos querem colocar quem defende a vida das mulheres e a legalização e/ou descriminalização do aborto, como tem acontecido também com Débora Diniz, da Anis – Instituto de Bioética. As chamas dessa fogueira se adensam, ainda, quando essas vozes partem de comunidades de fé, falando a partir de uma visão religiosa. Para os fundamentalistas, qualquer discurso que contrarie seus privilégios é visto com olhos odiosos.

Católicas pelo Direito de Decidir vem a público compartilhar seu apoio à pastora Lusmarina Campos Garcia. É inadmissível que os ataques sofridos pela pastora aconteçam. Nos solidarizamos com sua trajetória e sua luta, e exigimos que tais ataques não passem impunes. O ódio e as fogueiras não nos calarão!

Católicas pelo Direito de Decidir

10/08/2018


Assista o discurso da pastora Lusmarina Campos no STF (06/08/2018)

Author: catolicas01

Share This Post On