O rap feminista de Luana Hansen pelos direitos LGBTs

destaques-yt-luana-videorap2016

Gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e travestis enfrentam muitas batalhas cotidianamente. Consideramos inadmissível que essas pessoas tenham seus direitos negados, sejam alvo de discriminação ou violência por serem quem são.

Ficamos indignadas porque parte de seus agressores se dizem religiosos e usam o poder e espaços que têm – igrejas, templos e mídia – para disseminar preconceito e ódio. Assim como políticos que ameaçam os direitos LGBTs com projetos absurdos como o Estatuto da Família.

Para falar sobre o fundamentalismo que afeta a vida de LGBTs, convidamos a DJ, MC e produtora musical Luana Hansen que questiona a sociedade com Pra quem vai o seu amém? e presta uma emocionante homenagem à Luana Barbosa, mulher negra e lésbica, morta após ser espancada por policiais militares em abril de 2016.

Confira nossa entrevista com a Luana, assista o videoclipe da música e compartilhe com amig@s!

Católicas: Sua arte sempre esteve pautada pelos direitos humanos, direitos das mulheres e LGBTs. Você sente que faz a diferença?

Luana: Ainda falta fazer e falar muito! Uma das coisas que me fez querer lutar ainda mais, foi a luta pela questão de gênero na cidade, o PME [Plano Municipal de Educação] pra falar de gênero nas escolas. Estive nos espaços de discussão, na Câmara Municipal de São Paulo e me magoou muito ver crianças com grupos religiosos com faixa dizendo que família é mamãe e papai, e ver várias doutrinas religiosas dizendo que a gente tava querendo uma ditadura LGBT. E agora você vê todo o retrocesso que tá vindo em cima do povo com as propostas dos governos. A gente tem que falar, na propaganda, na novela, no canal de TV onde o pastor exorciza homossexual, se a gente não falar vai continuar morrendo gente toda hora. Veja o caso da Luana Barbosa, se a gente fala já acontece isso, imagina se a gente não falar nada?

Católicas: Como é a reação do público nos seus shows?

Luana: O show começa misto, vai rolando o show, os homens vão indo pra trás, depois só fica mulher. Tem show que é ovacionado. Tem mulheres que choram e agradecem. Mas em outros shows tem caras que querem nos agredir porque ficam irritados porque a gente fala de machismo nas músicas, a gente fala que os homens já abortam, por exemplo.

Católicas: Quais são suas referências na música?

Luana: Escuto muita música cubana, africana e música eletrônica. Gosto de Queen Latifah, Dina Di, Nega Gizza e Sharylaine cujas músicas me fizeram lutar pelos direitos das mulheres.

 

Assista e compartilhe o videoclipe da música Pra quem vai o seu amém? de Luana Hansen e Elisa Gargiulo.

 

Acesse o You Tube de Luana Hansen:

You Tube: https://www.youtube.com/channel/UCAyd9ciy2tmysiull0R-jdQ/featured

 

Leia também:

Conheça a campanha Católicas na Luta pelo Estado Laico e contra os fundamentalismos.

Conheça a produtora musical da campanha e as curiosidades sobre a criação das músicas feministas.

Brisa De La Cordillera canta “Mosaico” pelo direito da mulher decidir.

A igualdade de gênero pode começar na escola! Conheça as ideias da artista Drika Ferreira, autora da música Iguais e Livres!

Ellen Souza canta Notícias do Brasil pelo fim da intolerância religiosa.

Lívia Cruz canta pelo fim da violência contra mulher.

Author: rack

Share This Post On